Resiliência poética

Nossos erros são como avenidas
emburacadas e de duas mãos
E, entre os meus EUS,
um é esse Ser muito mau
Tenho consciência
Mas entre os meus múltiplos eus,
em um deles,
há um vírgula
Uma inflexão
E ali está você
Pois nesse Eu
qual
sou ciente de que
sou um homem infinitamente melhor por você

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s